Chef Mimi: Uma mulher quando entra numa cozinha é para vencer

Chef Mimi: Uma mulher quando entra numa cozinha é para vencer

Chef Mimi © ffmag

Conhecida no universo gastronómico como “chef Mimi”, Licia Mimi Silva é uma força da natureza que, na cozinha, eleva o valor da mulher e não se deixa intimidar pela forte, e cada vez maior, presença masculina no setor. Mais de 19 anos de sucesso à frente das cozinhas do Grupo K, a chef do restaurante “Kais” ainda tem projetos inovadores antes de abandonar o seu cargo. 

Viveu alguns anos na Suíça e foi lá o arranque da sua carreira. Chegou a Portugal em 1987. Em 1990 foi trabalhar para Sintra para um restaurante do Grupo Silva Carvalho e, foi aí, que se tornou chef, “há 35 anos foi muito difícil porque não havia a juventude que há hoje, a mentalidade era outra, sentia imensa discriminação dos homens por ser uma mulher a comandar na cozinha” recorda.  

A paixão pela culinária nasce de uma forma inédita. Quando estava na Suíça, Mimi tinha um salão de cabeleireiro localizado em Genebra mas, a par desse negócio, sempre adorou cozinhar para os amigos, “para mim, a cozinha sempre foi uma paixão, apesar de nascer muito pobre e não saber bem o que era porque os alimentos eram escassos” conta, adiantando que foi, de certa forma, “empurrada” por um chef de cozinha que, sabendo do seu enorme potencial, convenceu-a a deixar o salão de cabeleireiro e ir para o hotel cozinhar. Deixou o salão mas a imagem, sempre bem cuidada manteve-se, e os espelhos passaram a refletir as suas receitas. Depois de estar 11 anos na restauração em Sintra, o Grupo “K” contratou-a para gerir a parte gastronómica. 

Sala de jantar, Restaurante Kais

Restaurante Kais © ffmag

Nesta transição, os sacrifícios foram muitos. Durante o seu percurso, Mimi assegura que quando alguém se dedica a esta profissão, não há tempo para outras coisas e, para uma mulher, é pior.

“Dediquei a minha vida à minha profissão e aos meus filhos, e mesmo não estando tão presente, sempre fui uma mãe extremosa”


A cozinha é uma história de mulheres!

Para Mimi não há dúvidas: a cozinha é feminina! Elas são mais dedicadas, mais minuciosas, mais organizadas do que os homens e, segundo a chef, têm menos falhas “a mulher quando entra numa cozinha, é para vencer” assegura.

No setor, há um grande respeito por Mimi, não fosse ela uma mulher cuja presença não passa despercebida. Consigo traz uma raiz francesa - bem vincada - que dá um toque fino e requintado aos pratos. “Um prato não pode ter mais do que três elementos, se tiver, não se sabe o que se está a comer” destaca. Venera a chamada “cozinha de conforto”, que é uma cozinha elegante e com sabor e, acima de tudo, com cheiro. Talvez, por isso, tenha particular interesse nas especiarias, “apesar de termos sido pioneiros nas especiarias, em Portugal somos mais de ervas aromáticas e é uma pena” realça.

Há 19 anos no mercado, Mimi descreve a receita que esteve por detrás do êxito “o que eu faço é mistura da gastronomia francesa com a portuguesa e quem come, considera sublime”. À pergunta sobre o que a faz continuar por cá, a chef responde: “A paixão e o amor pelo que faço”.

Restaurante Kais. Lisboa

Restaurante Kais © ffmag

You May Also Like

Post

Rei da China e Casa dos Prazeres: 2 novos restaurantes do José Avillez e Estanis Carenzo

Post

Cabazes de Natal para todos os gostos

Post

Celebra o Dia de São Valentim no Restaurante Pesca

Post

Paulo Amado, o Pai dos chefs portugueses

Post

Chef Agnaldo Ferreira, Gaveta de sabores japoneses